Quinta-Feira, 06 de Maio de 2021

Sesi MT entrega Elmos ao HG para reduzir intubações

O Serviço Social da Indústria (Sesi MT) entregou ao Hospital Geral (HG) três unidades do capacete Elmo para uso no tratamento de pacientes com Covid-19 em Cuiabá. Desenvolvido com parceria do Sistema Federação das Indústrias do Ceará, com recursos do Senai, o capacete permite apoio respiratório com aumento da oxigenação de forma não invasiva. Isso pode reduzir a necessidade de intubação e de internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

O Elmo promove fluxo de oxigênio (ou ar medicinal) a uma taxa mínima de 40 litros por minuto, com pressão controlada por meio de válvula. Equipado com filtro Hepa, ele também evita a contaminação do ar externo pela respiração do paciente. Em decorrência disso e por depender de poucos equipamentos de apoio para funcionamento, o capacete pode ser usado em outros ambientes hospitalares além de UTIs, como Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Já registrado na Anvisa e produzido em larga escala, o Elmo apresenta inúmeros benefícios: evita a intubação em 50 a 65% dos casos, reduz o tempo de internação e o risco de contaminação dos profissionais de saúde, não é invasivo – portanto não requer uso de sedativos -, tem baixo custo, pode ser esterilizado e tem manutenção simples.

“Temos um grande desafio que é reduzir a ocupação nos hospitais, e uma das formas de fazer isso é diminuindo o tempo de internação dos pacientes. Como se trata de um equipamento novo e que requer treinamento específico, nós adquirimos algumas unidades e o HG demonstrou interesse em utilizar”, conta o presidente do Sistema Fiemt e diretor do Sesi MT, Gustavo de Oliveira. De acordo com ele, a equipe do hospital vai definir a melhor forma de uso do Elmo para a realidade local. A partir disso, poderá haver uma articulação com o poder público para implantação do protocolo.
A capacitação para o uso do Elmo é realizada pela Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará. Em Mato Grosso, a equipe do HG receberá o treinamento e poderá multiplicar o conhecimento para novas equipes, caso o equipamento seja adotado.

A diretora-presidente do HG, Flávia Galindo Silvestre, agradeceu ao Sesi pela escolha. “Vamos colocar imediatamente em teste e dar retorno o mais rápido possível, para expandir para outras unidades essa estratégia que vem para ajudar neste momento tão crítico que a gente vivencia”, afirmou.

Entenda o Elmo

Fabricado com materiais plásticos flexíveis e esterilizáveis em autoclave, o Elmo envolve a cabeça do paciente como um capacete transparente. Ele deve ser conectado à saída de oxigênio ou ar medicinal e também a um umidificador. A vazão do ar é regulada por meio de uma válvula. O paciente passa a receber um suporte respiratório de forma não invasiva, ou seja: sem a necessidade de tubos nem de sedativos.

A válvula de saída de ar do Elmo é equipada com filtro Hepa, que evita a contaminação do ar exterior, aumentando a segurança dos profissionais de saúde. O equipamento também permite acesso do profissional ao paciente caso seja necessário algum tipo de manipulação durante o atendimento.

O custo total do conjunto de equipamentos necessários fica em torno de R$ 2 mil – bem abaixo do custo de um dia de intubação na UTI.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Veja também

Roseli

Roseli

Comentários

Feito por
⚙️