Sábado, 08 de Maio de 2021

McDonald’s e Aberje divulgam vencedores do Escalando o Futuro 2020

Anúncio_dos_vencedores_2020

Banca de jurados avaliou 12 trabalhos finalistas e elegeram três projetos durante showtime. Vencedores são premiados com R$ 4 mil

Victor Prado, Cecília Nunes de Sá, e a dupla Manoela Cavalheiro e Italo Brasileiro foram os vencedores da 2ª edição do Escalando o Futuro, iniciativa realizada em parceria entre McDonald’s e Aberje, que tem como objetivo encontrar e desenvolver jovens talentos em contar boas história, proporcionando oportunidades de crescimento pessoal e profissional. O anúncio foi feito no final da última semana, durante o showtime transmitido no Youtube da Aberje, após a apresentação dos 12 projetos finalistas para a banca de jurados. Os vencedores faturaram R$ 4 mil. Posteriormente, os projetos-pilotos também poderão ser produzidos e lançados pelo McDonald’s.

No showtime, os finalistas apresentaram seus trabalhos para uma comissão julgadora composta por Hamilton dos Santos, diretor-geral da Aberje, Mariana Augusto, gerente de Comunicação do McDonald’s, Fernando Palacios, um dos pioneiros do storytelling no Brasil, e Lígia Sato, gerente de Comunicação da Latam Airlines. A live contou com a participação dos responsáveis pelo programa – Bruno Neves, responsável pela seleção dos participantes; Victor Henrique Pereira (Aberje); e Anderson Lima (McDonald’s).

Para chegar à etapa final, os escaladores apresentaram projetos que preencheram quatro critérios estabelecidos para balizar a avaliação dos jurados: criatividade em storytelling, adequação do projeto com a mídia escolhida, relação e envolvimento com a marca e razoabilidade de aplicação. “Avaliamos critérios técnicos, linguagem do texto, a sacada e a originalidade. A maioria dos projetos abordou questões contemporâneas ligadas à sustentabilidade, à inclusão e à diversidade. O nível dos trabalhos foi excelente”, avaliou Hamilton.

Os escaladores Manoela Cavalheiro, funcionária do Méqui no Rio Grande do Sul e Italo Brasileiro, que cursa Ciências Biológicas na Universidade Federal da Bahia (UFBA) contam que se conheceram durante a trajetória do EoF e se uniram para pensar em uma websérie interativa que fala sobre escolhas, de como pequenos detalhes podem mudar a vida das pessoas. Com linguagem pensada para o Instagram, a história de um jovem que precisa tomar algumas decisões ao longo da vida será dividida em 13 pílulas de aproximadamente um minuto cada. A ideia é disponibilizá-la no Youtube, com links diferentes para que o final possa ser escolhido pelo público.

Lá do Rio de Janeiro, Victor Prado, estudante da Universidade Federal Fluminense (UFF), contou que o seu curta-metragem chamado “O que desejo” é uma “dramédia” de 15 minutos, feita para o canal institucional do McDonald’s no Youtube. Seu projeto conta a história de um jovem que tem medo do futuro e de tomar decisões. Engatilhado por um inofensivo Big Tasty que não aparece mais no cardápio, o jovem metódico que viveu anos em piloto automático tem uma crise existencial na fila do McDonald’s ao se dar conta de que nem tudo está sob seu controle.

Amante das tirinhas, Cecília Nunes de Sá, do Paraná, disse que, caso o seu projeto fosse escolhido, gostaria de ver sua história impressa no papel bandeja dos lanches do Méqui, com o QR Code para a versão digital. A ideia é disponibilizar, junto com a HQ, um sistema de tradução de libras. Ao contar a história do surgimento do McFlurry, a universitária pediu a todos que fechassem os olhos e ouvisse a áudio descrição de sua história intitulada “A Sala Mágica”, e, por três minutos, inspirou a imaginação de quem assistia à live. “Como eu estudo a acessibilidade no meu TCC, eu proponho que ela seja publicada digitalmente. Um dos objetivos é incluir as pessoas com deficiência em questões de representatividade em produtos da Comunicação”, contou a estudante de Relações Públicas, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A Escalada

Este ano, as etapas foram realizadas de forma 100% online, possibilitando a participação de jovens de todas as regiões do Brasil. Foram 60 inscritos, entre funcionários da rede de restaurantes e universitários. Destes, 38 escaladores foram selecionados para três dias de imersão, vindos de diferentes partes do país: Salvador e Vitória da Conquista (BA), São Paulo, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Taboão da Serra, Itaquaquecetuba, Guarulhos, Sertãozinho, Bragança, Suzano e Itupeva (SP), Rio de Janeiro e Nova Iguaçu (RJ), São José dos Pinhais e Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Viamão, Alvorada e Gravataí (RS), Recife (PE), Poços de Caldas (MG), Manaus (AM) e de João Pessoa (PB).

Nos dias de imersão, os escaladores participaram de workshops sobre produção de conteúdo, storytelling, roteiro, produção audiovisual, literatura, boas práticas de mídias sociais e empreendedorismo, ministrados por profissionais renomados no mercado: David Grinberg, VP de Comunicação da Arcos Dorados, falou sobre “Comunicação e Futuro”; Larissa Câmara, roteirista, diretora, comediante, stand-up e atriz, deu aula sobre “Roteiro”; Elisa Lucinda, atriz, poetisa e escritora, abordou “Literatura e Diversidade”; Fabiana Lavinas, responsável pela comunicação do Rock in Rio, abordou “Comunicação em grandes Eventos”; Felipe Kozlowski, diretor de parcerias no Instagram, falou sobre “Boas práticas no Instagram”; Luana Matos, área de RH da Arcos Dorados, palestrou sobre “Liderança e Empreendedorismo”; João Pedro Paes Leme, ex-diretor executivo da TV Globo, sobre “Produções audiovisuais”; Rafael Sbarai, gerente de produtos digitais da Globo, tratou de “Tendências em Conteúdo”; além de Fernando Palacios, que falou sobre storytelling brasileiro.

Dos 38 escaladores, 12 sinopses foram selecionadas para serem aperfeiçoadas para a apresentação no showtime. Além dos quatro vencedores, apresentaram seus projetos os escaladores: Amanda AssisAne Cristina e Ana ClaraBeatris SabinoFernanda MedradoGustavo LopesLarissa MoraesLarissa MullerLuana Reis, e Nayonara Stheffane.

História campeã da edição 2019 vira websérie

A primeira edição do Escalando o Futuro foi lançada no ano passado. Um dos vencedores da edição foi o universitário Leonardo Marin, ex-funcionário da rede, que teve sua websérie produzida pelo McDonald’s.

Com o título “Meu Primeiro Emprego”, a série conta a história da Hannah, uma jovem que está realizando o sonho do primeiro emprego no McDonald’s e, com a ajuda de uma fada-madrinha vai tentar fazer do seu primeiro dia um sucesso. Os vídeos já estão disponíveis no site corporativo e no canal do Youtube da Arcos Dorados, empresa responsável por operar a marca McDonald’s na América Latina e Caribe.

Sobre a Arcos Dorados

 

A Arcos Dorados é a maior franquia independente do McDonald’s do mundo e a maior rede de serviço rápido de alimentação da América Latina e Caribe. A companhia conta com direitos exclusivos de possuir, operar e conceder franquias locais de restaurantes McDonald’s em 20 países e territórios dessas regiões. Atualmente, a rede possui mais de 2.200 restaurantes, entre unidades próprias e de seus subfranqueados, que juntos empregam mais de 100.000 funcionários (dados de 30/9/2020). A empresa também mantém um sólido compromisso com o desenvolvimento das comunidades nas quais está presente e com a geração de primeiro emprego formal para jovens, além de utilizar sua escala para impactar de maneira positiva o meio-ambiente. A Arcos Dorados está listada na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE: ARCO). Para saber mais sobre a Companhia por favor visite o nosso site: www.arcosdorados.com

 

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Veja também

Roseli

Roseli

Comentários

Feito por
⚙️