Quarta-Feira, 21 de Outubro de 2020

Libertário, Easy Ryder: Sem Destino é exibido no Cine Teatro Cuiabá

615764

Dois amigos motoqueiros partem de Los Angeles dispostos a descobrir a ‘verdadeira América’ e na estrada conhecem os mais diferentes tipos humanos em “Easy Rider: sem destino” (Easy Rider, EUA, 1969, 94 minutos), de Dennis Hopper, atração desta terça-feira, 18 de julho, às 19:00, no Cine Teatro Cuiabá. Entrada: R$4,00 (inteira) e R$2,00 (meia). Classificação indicativa: 18 anos. 

O filme dá continuidade às atividades do projeto Encontros com Cinema, realizado pelo Cine Teatro Cuiabá em parceria com a Pró-reitoria de Cultura, Extensão & Vivência (PROCEV), Cineclube Coxiponés, Faculdade de Comunicação e Artes e Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso. Os participantes da Sessão Encontros com Cinema são estimulados a conhecer ou revisitar obras cinematográficas de cineastas prestigiados no circuito autoral e independente. Ao final de cada exibição, é encorajada a conversa sobre o filme entre os presentes. 

“Easy Rider: sem destino” integra o Ciclo Filmes de Estrada, que até o mês de outubro exibe filmes onde a estrada (e sua travessia) aparece como elemento de expressão da renovação estilística e comportamental que incidiu sobre o cinema norte-americano (mas que também influenciou outras cinematografias) a partir da segunda metade da década de 1960. O conjunto dos filmes selecionados para o Ciclo Filmes de Estrada do projeto Encontros com Cinema compõe um panorama da multiplicidade dos traços mais expressivos desse gênero bastante associado ao espírito libertário, tanto dos cineastas que os dirigem como dos personagens que os protagonizam. 

Sobre o filme

Em “Easy Rider: Sem Destino”, dois jovens amigos motoqueiros partem de Los Angeles dispostos a descobrir a “verdadeira América”. Na estrada, conhecem os mais variados tipos, incluindo um jovem advogado alcoólatra que resolve se juntar a eles na aventura. A radical opção do trio pela liberdade será confrontada pelos valores reacionários de um grupo e caipiras que encontram no caminho. 

Comentário de Inácio Araújo, crítico da Folha de São Paulo, sobre “Easy Ryder: sem destino”, publicado em 26/03/2010: “Mais do que um título, “Sem Destino” era um programa de vida, quando foi lançado, em 1969. Era, digamos, quase uma recomendação aos jovens: sair pela estrada com uma mochila nas costas, porque era lá que estava a vida, não em casa. De um modo ou de outro, quase todo mundo na época saiu. Uns foram ser guerrilheiros, outros, hippies. Houve quem corresse a América Latina até os Estados Unidos, ou partisse da Europa para a Índia. Dito assim, parece ficção científica. Não havia ainda câmeras de segurança mandando as pessoas sorrirem nos elevadores porque estão sendo filmadas (e por que devemos sorrir quando filmados?). Havia os beatniks, poetas rebeldes, que no fundo estavam por trás do filme de Dennis Hopper. Havia uma mudança acontecendo no mundo todo que rebatia na incrível inquietação dos jovens. Outro dia, o poeta Roberto Piva disse desse tempo: “Não sobrou nada”. Com efeito.”  

Mostra de Cinema Francês Contemporâneo

Na próxima semana, entre terça e sexta-feira (25 a 28 de julho), o Cine Teatro Cuiabá realiza a Mostra de Cinema Francês Contemporâneo, em parceria com a Cinemateca da Embaixada da França e o Institut Français. Serão duas sessões diárias, às 16:30 e 19:30. Confira a programação e sinopse dos filmes no Facebook do Cine Teatro Cuiabá. 

Próxima exibição do Ciclo Filmes de Estrada:

O Passageiro – Profissão: repórter, de Antonioni

Nas próximas duas semanas não haverá exibições do projeto Encontros com Cinema. O Ciclo Filmes de Estrada retorna no dia 08 de agosto, com a exibição de “O passageiro – Profissão: repórter” (Professione: repórter, Itália/Espanha/França, 1975, 126 minutos), de Michelangelo Antonioni. Classificação indicativa: 18 anos.  Não perca! 

Sobre o Cine Teatro Cuiabá

O Cine Teatro Cuiabá foi inaugurado em 23 de maio de 1942 e desde então tem sido sede para grandes espetáculos cinematográficos, cênicos e musicais. A capacidade atual da sala de exibições é de 515 espectadores. O Cine Teatro Cuiabá está sob gestão da Associação Cultural Cena Onze, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), em razão do Termo de Colaboração firmado com a Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso em maio de 2016. O Cine Teatro Cuiabá conta com bombonière, onde são vendidos comes e bebes: ótima pedida para quem cultiva o hábito de tomar aquele cafezinho antes da sessão de cinema começar. 

Estacionamento gratuito

Os participantes da Sessão Encontros com Cinema que forem ao Cine Teatro Cuiabá de carro contam com algumas possibilidades de estacionamento no entorno. O Palácio da Instrução (situado ao lado da Catedral Metropolitana) estará com estacionamento aberto e gratuito, mediante apresentação do canhoto da taxa de manutenção do Cine Teatro. Estacionamentos pagos também estarão abertos na terça-feira e custam a partir de R$10,00 (na Rua Barão de Melgaço). 

Saiba mais

A programação do projeto Encontros com Cinema é direcionada a todas pessoas interessadas em audiovisual. A entrada está condicionada ao pagamento de taxa de manutenção do Cine Teatro Cuiabá: R$4,00 (inteira) e R$2,00 (meia). Endereço: Avenida Getúlio Vargas, 247, Centro de Cuiabá. Se você deseja ser avisado sobre as exibições, envie um e-mail paraencontroscomcinema@gmail.com com o assunto “Cadastrar e-mail”. Para mais informações sobre a programação do Cine Teatro Cuiabá, entre em contato através do telefone (65) 2129 3848. Acompanhe a programação geral seguindo o Cine Teatro Cuiabá no Facebook: @cineteatrocuiaba.

 

Serviço

O quê: Exibição de “Easy Rider: sem destino” (Easy Rider, EUA, 1969, 94 minutos), de Dennis Hopper.

Quando: Terça-feira, 18 de julho, 19:00.

Onde: Cine Teatro Cuiabá

Classificação indicativa: 18 anos

Entrada: R$4,00 (inteira) e R$2,00 (meia).

Programação e Sinopses da Mostra de Cinema Francês Contemporâneo

De 25 a 28 de julho. Local: Cine Teatro Cuiabá. Sessões às 16:30 e 19:30

Entrada: Taxa de manutenção do Cine Teatro de R$4,00 (inteira) e R$2,00 (meia). 

Terça-feira, 25/07, 16:30

O grande jogo (Le grand jeu, Nicolas Parisier, França, 2015, 99 minutos).

Classificação indicativa: 16 anos.

Sinopse: Pierre Blum, um escritor de quarenta anos que teve seu auge no início de 2000, encontra no terraço de um casino um homem misterioso, Joseph Paskin. Influência política e manipulador carismático, ele leva Pierre em uma estranha jornada que o faz mergulhar num passado que preferiria esquecer, colocando assim sua vida em risco. Em meio a esse tumulto, Peter se apaixona por Laura, uma jovem militante da extrema esquerda. 

Terça-feira, 25/07, 19:30

Os Invisíveis (Les invisibles, Sébastien Lifshitz, França, 2012, 90 minutos).

Classificação indicativa: 18 anos.

Sinopse: Nascidos entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, seis franceses contam suas histórias pessoais, vividas em diferentes partes do país ao longo de quase todo o século XX. Embora sejam pessoas comuns, seus relatos refletem as transformações da sociedade nas últimas seis décadas. Sem que tenham optado por uma vida extraordinária, os casais Yann e Pierre, Bernard e Jacques e Catherine e Elisabeth foram desbravadores apenas por terem vivido numa época em que homossexuais eram totalmente discriminados pela sociedade. 

Quarta-feira, 26/07, 16:30

Nem o céu, nem a terra (Ni le ciel ni la terre, Clément Cogitore, Bélgica/ França, 2016, 100 minutos).

Classificação indicativa: 16 anos.

Sinopse: Afeganistão, 2014. Com a retirada das tropas se aproximando, o capitão Antarès Bonassieu e sua equipe recebem a missão de vigilância em um vale remoto de Wakhan, na fronteira do Paquistão. Apesar da determinação de Antarès e de seus homens, o controle do vale isolado lentamente vai caindo de suas mãos. Numa noite escura, os soldados começam a desaparecer misteriosamente no vale. 

Quarta-feira, 26/07, 19:30

21 noites com Pattie (21 nuits avec Pattie, Arnaud Larrieu & Jean-Marie Larrieu, França, 2015, 115 minutos).

Classificação indicativa: 16 anos.

Sinopse: Caroline, uma parisiense de 40 anos, chega a uma pequena cidade para organizar o funeral da mãe. Nesta aldeia banhada em uma atmosfera festiva, ela conhece Pattie, com quem passa a desenvolver uma estimulante amizade. A preparação do funeral tem uma reviravolta inesperada quando o corpo da mãe desaparece misteriosamente.

Quinta-feira, 27/07, 16:30

A estação do Rádio (La maison de la radio, Nicolas Philibert, França, 2012, 103 minutos).

Classificação indicativa: 16 anos.

Sinopse: Um mergulho no coração da Radio France, descobrindo o que habitualmente escapa aos olhares: os mistérios e as cenas de um meio cuja própria matéria que utiliza – o som – é invisível. 

Quinta-feira, 27/07, 19:30

Aos 14 (À 14 ans, Hélène Zimmer, França, 2015, 86 minutos).

Classificação indicativa: 16 anos.

Sinopse: Entre a euforia, a rivalidade e a sedução, três jovens navegam pelas primeiras provações de amizade, sexo, festas, intimidação e humilhação. Sarah é uma provocadora, que trilha despreocupadamente seu caminho pela escola e pela vida. Louise toma as rédeas de sua própria vida quando se rebela contra sua mãe e deixa a casa da família. Jade está deprimida desde que brigou com Sarah e Louise durante o inverno. Juntas, elas enfrentarão os tormentos da adolescência para, enfim, encontrarem o seu lugar no mundo. Um olhar sem censura sobre a vida de três meninas aos 14 anos. 

Sexta-feira, 28/07, 16:30

Não é meu tipo (Pas son genre, Lucas Belvaux, França, 2013, 112 minutos).

Classificação indicativa: 18 anos.

Sinopse: Clement, jovem professor de filosofia parisiense, é transferido para o interior por um ano. Longe da agitada Paris, ele não sabe como ocupar seu tempo livre, até encontrar Jennifer, uma humilde cabeleireira, por quem se interessa. Se para ele o mundo é regido por Kant e Proust, para ela a vida é uma grande novela regada a karaokês e noitadas. Um amor improvável floresce. 

Sexta-feira, 28/07, 19:30

Eu soldado (Je suis un soldat, Laurent Lariviere, Bélgica/França, 2015, 96 minutos).

Classificação indicativa: 16 anos. 

Sinopse: Aos 30 anos, Sandrine se vê forçada a voltar para a casa da mãe em Roubaix, no extremo norte da França. Desempregada, ela aceita trabalhar com o tio em um canil, estabelecimento que na verdade funciona como fachada para um grande centro de tráfico de cães da Europa Oriental. Além de juntar um bom dinheiro, em pouco tempo Sandrine conquista autoridade e respeito nesse mundo dominado por homens. Mas às vezes até os bons soldados se recusam a receber ordens. 

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Veja também

admin

admin

Comentários

Feito por
⚙️