Sexta-Feira, 30 de Outubro de 2020

Clínica de diagnóstico por imagem de Cuiabá oferece cartão social para pessoas de menor renda

11211292008092020_Cartao_Social_Imedi_6
Boa parte dos brasileiros acredita ser o plano de saúde um item dispensável, mas que faz falta na hora de realizar exames urgentes e não conseguir uma liberação do Sistema Único de Saúde (SUS). Pensando nisso, o Instituto Médico de Diagnóstico por Imagem (IMEDI), lançou o Cartão Social Imedi, um projeto para pessoas que não possuem plano de saúde, que permite atendimento de qualidade para realização de exames, por valores acessíveis e pagamento facilitado. Dependendo do exame, ele pode ser parcelado em até 12 vezes. De acordo com a diretora clínica do instituto, Dra. Lorena Andrade Dias, o Imedi Social é formado por um comitê responsável por ações beneficentes, com foco social. “De forma contínua, desenvolvemos ações em prol de nossa comunidade como o Natal Solidário Imedi, doação de exames aos idosos do abrigo Bom Jesus, arrecadação de alimentos destinado às pessoas carentes durante a pandemia, dentre outras. Então, criamos esse benefício à população mais carente, pensando em contribuir por meio dos nossos serviços, possibilitando que pessoas de diversas classes tenham acesso a diagnósticos confiáveis e de qualidade”, explica ela. Para tanto, é necessário possuir renda individual de até 1 salário mínimo e meio ou pedido médico do SUS. Porém, o benefício é exclusivo para unidade de Várzea Grande. Exames específicos não realizados naquela unidade, podem ser feitos na unidade de Cuiabá. A jovem Joice Regina Moreira ficou sabendo do cartão por uma amiga que trabalha na clínica e utilizou o benefício para realizar os exames de ultrassons obstétricos durante o pré-natal. “A iniciativa é muito boa, me ajudou muito durante a gravidez. Foi o lugar com os valores mais em conta que encontrei em Cuiabá. Eu não teria condições de pagar o valor particular e pelo SUS o ultrassom demora para ser liberado. Além disso, o atendimento é ótimo e os exames de qualidade”, revela. Para fazer o cartão é necessário documento pessoal com foto, comprovantes de residência e de renda (caso o pedido não seja do SUS). “Lembrando que não existem taxas de adesão, mensal ou anual. O cartão é um cadastro feito no Imedi, que permite valores mais acessíveis, com a possibilidade de incluir ao benefício dependentes de primeiro grau, para cima e para baixo (pai, mãe, irmãos, filhos, marido ou esposa)”, esclarece a diretora. Para finalizar, a médica diz acreditar que equipamentos de alta tecnologia, profissionais capacitados e exames com qualidade devem ser acessíveis a todos. A finalidade do cartão é atender quem não tem acesso aos planos de saúde e também não pode arcar com os valores das tabelas particulares normais.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Veja também

roseli

roseli

Comentários

Feito por
⚙️