Quarta-Feira, 08 de Dezembro de 2021

Peso em excesso das mochilas escolares pode causar lesões e dores

SBOT-MT dá dicas para prevenir o uso incorreto do acessório

Companhia diária das crianças durante toda caminhada colegial, a mochila é mais que um simples material escolar. O peso em excesso e ajuste incorreto pode levar a sobrecarga da musculatura da coluna e do ombro, bem como provocar dores no pescoço, costas, joelhos e quadril, assim como lesões, ao longo do tempo e ainda tornar o trajeto delas até a escola mais difícil.

Pensando nisso, ortopedistas e traumatologistas da SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), prepararam algumas dicas que irão ajudar a evitar danos a saúde dos pequenos estudantes.

“Os pais devem sempre conferir o que os filhos carregam na mochila e se atentarem ao peso total da do acessório, que não deve ultrapassar 10% do peso da criança”, orienta o médico ortopedista Renam Bumlai, presidente da SBOT-MT. Ele pede ainda que se escolham aqueles modelos que possuam mais compartimentos, colocando os mais pesados sempre no centro e próximo às costas.

É importante se atentar para alguns quesitos ao escolher a mochila dos pequenos, como por exemplo, verificar se elas têm duas tiras, alças acolchoadas e reguláveis e que sejam firmes e acolchoadas junto às costas. As alças devem ter largura mínima de 4cm.

Várias partes do corpo da criança podem sofrer com o uso incorreto do acessório, como pescoço, parte superior e inferior das costas, ombros, joelhos e quadris. “Para compensar o peso, a criança projeta o tronco para frente, deixando a cabeça e pescoço também inclinados para frente, o que acaba causando dores nas costas, nos ombros e pressionando músculos e ligamentos do pescoço”, explica o médico.

Outra opção para quem carrega muitas coisas é a mochila de carrinho, mas prefira as que possuam alças para as costas e oriente as crianças a usá-las ao subirem escadas. O puxador deve ficar na altura do quadril, evitando que elas inclinem o corpo para o lado ao carregar.

Optar por mochilas feitas especialmente para crianças, pois possuem material mais leve, modelos com cinto abdominal, que ajudam a equilibrar o peso da mala, fazendo com que a criança não se tensione para frente ou para trás.

Para o presidente da SBOT-MT, observar todos esses detalhes é de máxima importância, “pois às vezes um desempenho não esperado de determinado aluno é justamente causado por uma dor, que pode distrair sua retenção de conhecimento e informação”, finaliza.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Veja também

admin

admin

Comentários

Com muito ❤ por go7.site