Sexta-Feira, 17 de Setembro de 2021

Marli Walker e Ernani Calháo foram eleitos para a Academia Mato-Grossense de Letras

image_50402561

Foi num clima de muita harmonia e democrático que ocorreram as eleições para novos membros da Academia Mato-Grossense de Letras-AML, na Casa Barão, no dia 7 de agosto. Foram eleitos, a poeta, escritora e professora, Marli Terezinha Walker, para Cadeira 2, e o advogado e escritor Antônio Ernani Pedroso Calháo para a Cadeira 26. A presidente da instituição, Sueli Batista dos Santos disse que tiveram 35 votantes, dos 38 que tinham direito a participarem do sufrágio. O número é expressivo e o resultado mostrou uma clara preferência da maioria, sendo que ambos foram muito bem votados, não abrindo nenhuma margem para questionamentos. Fizeram parte da comissão escrutinadora, que conduziu as eleições, nomeada pela presidente, os acadêmicos: Sebastião Carlos Gomes de Carvalho, Lindinalva Rodrigues e Valério Mazzuoli.

Além de Marli Walker participaram do pleito Caio Augusto Ribeiro, Celso Ferreira da Cruz Victoriano, Gabriel Leal, Kleiber Leite Pereira e Rui Matos. A Cadeira 2 tem como patrono  Joaquim da Costa Siqueira, político, escritor e cronista, e teve como última ocupante a advogada, professora e escritora, Marília Beatriz de Figueiredo Leite.

Ernani Calháo concorreu com os candidatos: Allan Kardec Pinto Acosta Benitz, Bruno Lima Barcellos, Josué Ribeiro da Silva Nunes e Mário Cézar Silva Leite. O patrono da Cadeira 26 é o médico, político e intelectual Joaquim  Duarte Murtinho e o último  ocupante foi o professor e escritor Benedito Pedro Dorileo.

Tão logo foi encerrada a votação, a presidente designou duas comissões para oficialmente comunicar os vencedores. Marli Walker recebeu em sua casa as acadêmicas, Lucinda Persona, Marta Cocco e Cristina Campos, no próprio sábado. Ernani Calháo  recebeu no domingo, no Hotel Odara, os acadêmicos Sebastião Carlos, José Cidalino Carrara e João Batista de Almeida.

CADEIRA 2 – A ELEITA

            Marli Terezinha Walker  – nascida em Bom Jesus D’Oeste-SC, em 1966, é licenciada em Letras pela UNEMAT (2000); professora no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT), Campus Cuiabá (2011); Mestre em Estudos de Linguagem pela Universidade Federal de Mato Grosso (2008); Doutora em Literatura, pela Universidade de Brasília, UnB (2013); Especialista em Literatura Infanto-Juvenil e Ensino pela UNEMAT (2004); Professora/pesquisadora do Programa de Pós-Graduação – Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

Participa de grupos de pesquisa voltados para a literatura brasileira produzida em Mato Grosso e coordena a linha de pesquisa “A Escrita do Gênero“, que investiga o silenciamento das vozes femininas e as marcas da escrita da mulher na historiografia literária local e integra a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística – ANPOLL, GT “A Mulher na Literatura“.

Possui relevante e destacada produção literária nacionalmente reconhecida, da qual se destacam os seguintes livros de produção individual: Pó de serra. 1. ed. Cáceres: Editora UNEMAT. Poesia; “Demorei tanto” (Evasão,p.59); Inferno e paraíso na poética de Adriane Rocha. 1. ed. Cáceres/MT: Editora UNEMAT. Crítica literária; Águas de encantação. 1. ed. Cáceres/MT: Editora UNEMAT. Obra selecionada pela Lei de Incentivo à Cultura da Prefeitura de Sinop. Poesia; Apesar do amor. 1. ed. Cuiabá: Carlini&Caniato. Obra selecionada pelo Ministério da Educação para constar no PNLD – Plano Nacional do Livro Didático/2018. Poesia; Pó de serra. 2. ed. Cuiabá: Carlini&Caniato. Poesia; Coração Madeira. 1. ed. Cuiabá: Carlini&Caniato. Romance; Jardim de ossos. 1. ed. Cuiabá: Carlini&Caniato. Obra selecionada pelo edital Biblioteca Estevão de Mendonça, promovido pelo Governo do Estado de Mato Grosso. Poesia; Mulheres Silenciadas e vozes esquecidas: três séculos de poesia feminina em Mato Grosso. 1. ed. Cuiabá: Carlini&Caniato. Obra publicada pela Lei Aldir Blanc, edital MT/Nascentes, promovido pela SECEL/MT. Crítica literária.

          Ela tem ainda muitas obras como coautora voltadas a literatura, Dentre os prêmios e títulos ostentados pela autora, consigna-se que, no ano de 2016, sua obra “Apesar do amor“, foi selecionada pelo Ministério da Educação para constar no PNLD – Plano Nacional do Livro Didático/2018, orgulho nacional para as letras e sobretudo, para todas as mulheres escritoras de Mato Grosso.

        Sua posse está marcada para o dia 14 de setembro.

CADEIRA 26 – O ELEITO

        Antônio Ernani Pedroso Calháo  – é natural de Cuiabá e reside em São Paulo. Ao longo de sua trajetória o eleito revela seu comprometimento com Mato Grosso, especialmente com sua terra natal. Foi um dos responsáveis pela criação do Muxirum Cuiabano, instituição que lutou pela preservação da cultura regional, e que teve grande repercussão no cenário cuiabano.

        De sua trajetória destaca-se que é pós-Doutorado na Universidade de Coimbra – Portugal. Doutor em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Mestre em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie de São Paulo. Graduou-se em Economia e Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso. É Advogado inscrito sob o nº 299079 na OAB-SP, Professor Assistente da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Professor convidado do Programa de Pós-Graduação da Escola de Direito de São Paulo/GV Law no Curso de Gestão Pública Judiciária. Exerceu, até 2010, o cargo de Professor Associado I da Universidade Federal de Mato Grosso. Na área jurídica desenvolve atividades ligadas ao Direito Constitucional e Administrativo, com ênfase na teoria das organizações e gestão. Atuou no Poder Judiciário como Analista como Assessor e Secretário Geral da Presidência do TRT de São Paulo, onde se aposentou. É membro da Academia Paulista de Letras Jurídicas, titular da cadeira 63.

        No campo das letras tem vasta contribuição para a área do Direito, e também para a literatura, com especial vinculação à área dos Direitos Humanos, na História e na Cultura mato-grossense seu empenho na pesquisa regional, estampado em sua produção intelectual, com importantes livros de sua autoria.

      Dentre suas obras individuais: Princípio da Eficiência na Administração da Justiça. São Paulo: RCS; Justiça Célere e Eficiente: Uma Questão de Governança Judicial. São Paulo: LTr; O Zunzum do Rio. Rio de Janeiro: Lumen Juris; Breve Release Histórico, Artístico-CulturalSua última obra, o Elo Perdido: O Primeiro Livro de Poesia de Mato Grosso. Cuiabá: Carlini&Caniato, trouxe lume as origens esquecidas da produção literária de Mato Grosso, recuperando em vasta pesquisa a produção de José Rodrigues Calháo.  É voltado para a Literatura e História.

         Sua posse está marcada para o dia 31 de agosto.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Veja também

Roseli

Roseli

Comentários

Com muito ❤ por go7.site