Domingo, 19 de Setembro de 2021

Chegada da ferrovia e Contorno Leste impulsionam gestão Emanuel Pinheiro em planejamento estratégico de Cuiabá

Projetar a Cuiabá do futuro tem sido uma meta da gestão Emanuel Pinheiro. Ações de infraestrutura, mobilidade urbana, fomento na geração de empregos, resgate do turismo e valorização da cultura cuiabana se interseccionam para construir uma cidade cada vez mais sustentável, tecnológica, planejada e que proporcione qualidade de vida aos seus habitantes. A extensão da ferrovia Senador Vicente Vuolo de Rondonópolis até Cuiabá e Lucas do Rio Verde é parte desse planejamento estratégico e junto com o Contorno Leste, serão fundamentais para o desenvolvimento da capital como polo industrial do Vale do Rio Cuiabá.

“Estamos em uma cidade que fecha o mês do seu aniversário de 302 anos com obras voltadas para o amanhã e para o futuro. Cuiabá não nasceu para ser cauda, nasceu para ser cabeça. Terra de líderes notáveis, como Eurico Gaspar Dutra, presidente da República cuiabano de tchapa e cruz, como Dante de Oliveira e Roberto Campos que já entraram para a história brasileira, que honraram o nosso grandioso Brasil. A nossa gestão se prepara neste segundo mandato, exatamente para ações macros, estratégicas, que gerem desenvolvimento, emprego, renda e oportunidades. A Ferrovia do nosso inesquecível senador Vicente Vuolo, pai do nosso secretário Francisco Vuolo, já é uma realidade. Estamos trabalhando muito para que Cuiabá seja passagem obrigatória, porque somos a Capital, somos a maior e mais importante cidade do estado, aqui está o maior contingente populacional, somos mais de um milhão de pessoas, um milhão de vidas. Aqui está o centro consumidor de Mato Grosso e um dos maiores polos do Centro-Oeste brasileiro. O futuro está aqui”, disse o prefeito Emanuel Pinheiro.

Por meio da Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, comandada pelo secretário Francisco Vuolo, a gestão Emanuel Pinheiro tem articulado com a bancada Federal a inserção da ferrovia Senador Vicente Vuolo no Plano Nacional de Logística (PNL) 2035, lançado no último dia 30 de março, pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e divulgado pelo Ministério da Infraestrutura. O documento apresenta as necessidades e oportunidades do setor até 2035.

Em fevereiro deste ano, o ministro Tarcísio de Freitas assumiu o compromisso de autorizar a extensão dos trilhos até a capital de Mato Grosso. Se preparando para este acontecimento é que a gestão movimenta suas ações.

A Central de Abastecimento de Cuiabá por exemplo, se prepara para receber uma reestruturação. O Master Plan está em discussão com a Associação de Permissionários para adequação de projeto que atenda as demandas dos trabalhadores locais e dê possibilidade de crescimento aos produtores locais, visto que hoje a maior parte do que é comercializado no local vem de outros município e/ou estados.

“A intenção é investir em capacitação técnica, tanto na área rural, dando suporte para o desenvolvimento das cadeias produtivas do peixe, do leite, das frutas, verduras e legumes, do frango, para que os produtores de Cuiabá sejam maioria na Central de Abastecimento que será totalmente reestruturada. Também vamos investir na capacitação da área urbana para desenvolver profissionais preparados para o polo industrial que se firmará com a chegada da ferrovia”, explicou Francisco Vuolo.

Hoje, 20 milhões de toneladas são escoadas pelos trilhos que chegam até Rondonópolis. Com a expansão da Ferrovia Senador Vicente Vuolo, passando pela baixada cuiabana e seguindo até Lucas do Rio Verde, mais que dobrará a quantidade de carga transportada. Isso significa desenvolvimento econômico, geração de empregos e uma oportunidade de conexão com outras cidades de Mato Grosso e outros estados, barateando o frete e criando a possibilidade de desenvolvimento do polo industrial de Cuiabá.

Outra ação fundamental para estrutural a mobilidade urbana e desenvolvimento comercial de todas as regiões de Cuiabá de forma linear é o Contorno Leste, maior obra estruturante já realizada na capital de Mato Grosso, com todos os componentes de uma grande estrutura de mobilidade urbana. No total, a via terá 17,3 quilômetros de pista dupla, cada uma delas constituídas por duas faixas de rolamento e acostamento, duas pontes e 13 rotatórias em pontos estratégicos. A avenida possuirá também ciclovia em todo o seu prolongamento, calçada, canteiro central e iluminação de LED.

Uma via que vai melhorar o trânsito da Capital e potencializar o desenvolvimento da cidade, transformando as imensas áreas ociosas em empresas, comércios, imóveis valorizados, impulsionando ainda mais a economia local.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Veja também

Roseli

Roseli

Comentários

Com muito ❤ por go7.site